Nome:
Localização: aaacarmelitas@gmail.com, Portugal

15 de junho de 2007

Imagem para recordar.

Àqueles que se revejam nesta foto, o nosso amigo Domingos Coelho vai reparar se, "por ventura" ou porventura não aparecerem no encontro. Se, tu que esta estás a mirar e nela conheces alguém com que te relaciones ainda hoje, com regularidade, não esqueças de lhe lembrar a conveniência de no dia 30 deste mês, no Sameiro Pontificar.

Já agora, e a título de informação, se alguém vive perto de Torre de Moncorvo, ou mesmo lá, e esteja a pensar ir ao encontro (e não costume fazê-lo para não vir só) e não tenha companhia, ligue para cá que nos diremos ao António Cardeal de Matos que tem um estabelecimento no Centro Comercial de Moncorvo, pois ele quer ir ao encontro mas anda a ver se encontra alguém para não vir sozinho.

Pronto, aqui fica o recado. Bem hajam todos os que têm feito comments. isto agora está a começar a ficar mais animado. É verdade.


4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Oh amigos... Isto é lixado. Um tipo olha para esta fotgrafia.... lembramo-nos de "n" colegas. Dá-nos um arrepio, uma lágrima vem aos olhos. O passado torna-se presente. O presente perspectiva o futuro... foi desta forma que fiquei contemplativo da obra deles ( os que nos formaram dentro do melhor que sabiam) e nos iniciaram da obra d'Ele. Somos carmelitas porque somos contemplativos, porque na vida, dia a dia, estamos com Ele para a obra... Esta fotografia deve ser de 1960/61. O comentário vai e a comoção cá fica a germinar.... Jorge Dias

15 junho, 2007 23:18  
Anonymous Anónimo said...

oh Jorge, deixa-me tratar-te assim,como velhos conhecidos.O Teu comentário é a razão do meu esforço e dos outros membros da direcção sem esquecer o grande "cerebro" e obreiro disto tudo o AUGUSTO CASTRO.

16 junho, 2007 14:39  
Anonymous JOSIMO said...

É engraçado. Por mais que olhe para a fotografia, não me consigo descobrir... apesar de descobrir lá velhos companheiros...
Ao fixá-la, passa pela minha mente uma onda de muita saudade, de muitas recordações, de muita vida... em tão poucos anos.
Como recordar é viver... vivi intensamente belos momentos...
Se, como diz o Jorge, a foto é de 1960, então eu já não tenho que lá estar, pois, se a memória não me falha, "fui obrigado" a sair em 1959.
Um abraço.
JOSIMIO

19 junho, 2007 14:36  
Anonymous Anónimo said...

Esta fotografia tem um magnetismo especial: trabalha sempre sem trabalhar e não me deixa descansado dia e noite. Mas que trabalheira...lembra-me sempre coisas. Será só a mim? Tantos que estão calados?

10 julho, 2007 02:00  

Enviar um comentário

<< Home