Nome:
Localização: aaacarmelitas@gmail.com, Portugal

5 de março de 2009

CANONIZAÇÃO DE NUNO DE SANTA MARIA ÁLVARES PEREIRA

Aproximando-se a data da canonização de Beato Nuno de Santa Maria Álvares Pereira, a Ordem do Carmo em Portugal organiza viagens de peregrinação a Roma, com vários modelos. Há peregrinações de três dias, de cinco dias, de sete dias e de oito dias.
Cada um escolha uma das várias hipóteses e faça a sua inscrição preenchendo o boletim que se anexa neste blog, com os elementos nele solicitados.
Em princípio, será conveniente que enviem para o Pe. Freitas ou para o Pe Chico. De qualquer modo, também podem entregar na agência de viagens respectiva.
Em caso de dúvida, telefonem para um dos Religiosos.

















2 Comments:

Anonymous jorge dias said...

Viva São Nuno de Santa Maria. Porquê? Porque foste patriota, porque foste um homem bom, porque em vida estiveste com os homens em quem Deus era e nisso és digno de imitação e imitável. Viva Nuno... mas que sejas santo ou beato, para mim o que importa é que sejas o homem e Nuno de teu nome, o conde estável de Portugal e imitável em Deus contigo e connosco. Viva

26 março, 2009 23:05  
Anonymous jorge dias said...

Irmão Nuno de Santa Maria, exemplo, hoje, na prática do Bem, para Portugal e para o Mundo

A aproximar-se o dia em que a Igreja administrativa dos cristãos católicos reconhece e publicita que o Irmão Nuno de Sana Maria é susceptível de ser imitado e seguido no que a sua vida teve de melhor a favor dos outros, ao mesmo tempo que me alegro por ele ser português, igualmente me sinto rejubilar por ele ter sido da Ordem do Carmo e, entre nós, desde sempre, um dos maiores. Mas, sobretudo, alegra-me o facto de em vida ele ter percebido singularmente, e com muita antecipação no tempo, a real essência da boa nova: o amor aos outros.

Num tempo de exageros e óbvios desmandos no subaproveitamento dos dinheiros públicos a favor da colectividade bem como indevidas apropriações nos negócios, em que ao espavento, ao novo-riquismo de uns, corresponde um proporcional empobrecimento do povo, vem a popósito citar o distinto cronista e correspondente da Sic no Açores, Estêvão Gago da Câmara, na sua crónica de Domingo 18 de Abril no Açoriano Oriental, porque tal como em frei Nuno de Santa Maria, também, hoje, encontramos, felizmente, entre nós, sinais de Bem:
“… a contrariar este ambiente de vertigem decadente, em vez do falatório, da berraria, da vacuidade política, há quem combata a crise de frente e, sobretudo, com acção. A diocese de Lisboa está mobilizada e pôs e marcha um programa de acção para minorar o sofrimento das famílias mais carenciadas. As dioceses de todo o país, e a nossa, vão ter que juntar esforços porque está visto que “governo” só, talvez, depois das eleições de Outubro. É neste tempo de desafio à prática do Bem que em Roma, esta semana, a Igreja vai consagrar mais um Santo português. Frei Nuno de Santa Maria, o Defensor do Reino, depois de lutar pela independência política de Portugal, depois de enfrentar a crise (século XIV) optou para o resto da vida pela batalha do Bem pelo “próximo”, pelos mais pobres e necessitados. Ninguém como ele pode, hoje (séc. XXI), ser tido como exemplo, para Portugal e para o Mundo”.

21 abril, 2009 19:16  

Enviar um comentário

<< Home