Nome:
Localização: aaacarmelitas@gmail.com, Portugal

23 de outubro de 2007

BODAS DE OURO - 1957 - 2007

Realizou-se, no passado dia 20 de Outubro, no Hotel da Falperra, em Braga, um Almoço de Confraternização dos Antigos Alunos Carmelitas que entraram para o Seminário no ano de 1957.
Aqui deixo as primeiras imagens possíveis, recolhidas na igreja de Santa maria madalena e na Capela de Santo António. Seguir-se-ão outras. Aguardamos impressões de participantes e de outros que não puderam ou não quiseram estar lá.
Esta é a imagem da Santa Maria Madalena que se encontra no altar mor



Foto junto ao harmónio da igreja de Santa Maria Madalena: O Veloso, a esposa sentada a tocar e o Jorge Dias à direita.

O José Moreira e o Jorge Dias, de pé, na entrada da Capela de Santo António.

Aspecto da assistência, durante a Eucaristia.


Outro aspecto da assistência durante a Eucaristia

7 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Jorge Dias:
Fiquei profundamente envolvido até ao mais íntimo deste ser que sou eu com o que ouvi, apreendi e fui dizendo neste encontro dos cinquentanistas entrados no Seminário Carmelita da Falperra em 1957. E vim com vontade de ainda ser mais provocador, mas também mais breve. Acabei de chegar a casa, hoje quarta-feira, dia 24. Com emoção Jorge Dias

24 outubro, 2007 18:20  
Anonymous Anónimo said...

Caro Lima Durães e amigo... Acabei agora de chegar a casa da minha deslocação ao encontro. Tenho imenso prazer em ver-te te chegar ao meu e-mail. Se por um lado ainda sinto nos ouvidos a tua linda voz de sabor alentejano a cantar aquele cântico, de cariz contemplativo, à nossa mãe do Carmo, por outro lado ando com a minha cabeça em água sem saber por onde pegar para voltar à mensagem contemplativa da Ordem dos irmãos (e irmãs) da bem aventurada virgem Maria do monte Carmelo, depois do encontro e do que lá conversei e ouvi. Acredita que ainda não consegui a síntese ... .e aumentei a apreensão. Que prazer... que gosto... na tua chegada ao meu e-mail. Quanto às pessoas a quem tenho que mandar e-mail, logo veremos. Mas repara, medo já não tenho... e ir ou ficar só depende da causa. É o que nos acontece quando assumimos que qualquer um pode ser contemplativo. Acredita que tudo farei para que nos dois grupos corais em que trabalho, e sou contemplativo, tenha mais um toque alentejano. Me inspiraste... Espero que vás ao Blog dizer o que me disseste quando aquela celebração acabou e falavas daquele cântico à mãe. Tudo de bom para ti e esposa. Lês música? Consegues tirar um cântico com a ajuda de um instrumento? Se sim depois mando-te uma música Pe. Ferreira dos Santosque é um espectáculo do . Cordialmente.

24 outubro, 2007 18:23  
Anonymous jorge dias said...

Jorge Dias
Lima Dur�es... sim.. sim... mnuita emo�o tamb�m gostei.
Quanto �s fotografias
Temos na segunda fotografia a Maria Madalena que nos evangelhos � a amiga �ntima de Jesus. Saramago no Evangelho segundo Jesus Cristo dedica um cap�tulo inteirinho a essa intimidade. Leiam que � uma del�cia. Agora, algu�m que me diga de quem � a imagem que aparece na terceira fotografia. Contemplativamente jorge Dias

24 outubro, 2007 18:36  
Anonymous Anónimo said...

Este encontro teve um fotógrafo empenhadíssimo. Uma matéria a considerar em futuros eventos. Ah..............................

24 outubro, 2007 18:37  
Anonymous Anónimo said...

Caro amigo Jorge Dias, eu disse, não me esqueço e não me envergonho, que tudo quanto são hinos á Divindade, nos inspiram.
Cantei, mas não fui unico, porque este grupo, a quem já chamam dentro da associação um grupo de amigos, é-o realmente para o bem e para o mal,ninguém é marginalizado seja porque motivo fôr, estamos cá todos para nos ajudarmos uns aos outros e quando fôr preciso, até aos que por cá não andam.
Caro Jorge e amigos familiares carmelitas, a força da Cruz de Cristo inspira-me e viverei a minha vida em total gratidão a Deus e á Sua força inspiradora nos Dons Eucaristicos.
Espero não ter dito babuseiras, alguns o pensarão, mas é o que sinto, convido todos a meditarem neste grande mistério, de adoração, e todos encontraremos alivio para a nossa dor e para a da humanidade.
Tudo não passa de uma questão de fé.
até breve.
ROSALINO DURÃES

27 outubro, 2007 19:38  
Anonymous Anónimo said...

Não há dúvida que o L Durães foi mesmo uma excepção. Todos os outros ou ainda estão de barriga cheia ou estão na contemplação da sua imagem nas fotografias... Também não é preciso tanto narcisismo. Faz lembrar o tempo de criança no jodo do "esconde esconde" onde o silência era sagrado para não sermos apanhados. Ainda sinto a alegria do encontro, mas com tantos silêncios... hei-de tirar as minhas conclusões. jorge dias

08 novembro, 2007 03:35  
Anonymous Anónimo said...

Hoje vi na televis�o uma reportagem sobre um convento de clausura de freiras na Vila das Aves (!). Repararam que era suposto serem contemplativas....Que as viram fazer? Rezar a ora�o da Igreja, trabalhar a terra e bordados e mais algumas jaculat�rias. Viram contempla�o? Estar com Deus sem palavras? Viram? eu n�o vi nada....
Quem pode entender que entenda....aleluia

08 novembro, 2007 03:41  

Enviar um comentário

<< Home